Notícias

Mandar beijos e abraços em e-mails relativos ao trabalho é um gesto apropriado?

Cumprimentos podem ser interpretados de diferentes formas de acordo com idade ou emprego

Mandar beijos ou abraços após a assinatura de um e-mail ou correspondência é normal entre amigos ou eventos casuais. Mas será que eles são apropriados para situações de trabalho?

“Pegajoso demais”, afirma E. Monier-Williams, escritor do blog de comunicação The Analytic Eye. O empresário de mídia canadense Mat Wilcox concorda. “Mando beijos toda hora, mas nunca no trabalho.” Sarah Ware, fundadora da empresa de análises Markerly, não usa o termo porque acha muito pessoal, mas costuma recebê-lo. “Parece estranho para mim, mas existem clientes que enviam todas as vezes”, conta.

Karen Friedman, especialista em comunicação e autora do livro “Shut Up and Say Something: Business Communication Strategies to Overcome Challenges and Influence Listeners” (“Cale a Boca e Diga Alguma Coisa: Estratégias de Comunicação de Negócios para Superar Desafios e Influenciar Ouvintes”, em tradução livre) afirma que “quando alguém manda beijos ou abraços ao final do e-mail não significa que essa pessoa quer namorar ou ter alguma relação mais íntima com você”.

A especialista acredita que o gesto geralmente significa gratidão ou valorização, como se fosse um pequeno abraço. “Em profissões mais artísticas e descontraídas, como teatro, pode ser considerado um gesto legal, mas é melhor ser mais cauteloso em trabalhos mais corporativos”, aconselha.

“Eu trabalhei em muitas corporações ‘tradicionais’ e nunca vi beijos em e-mails”, afirma a advogada Carolyn Edgar. Mas ela acredita que isso deve ser mais comum e aceitável em ambientes mais criativos.

Mesmo assim, é bom tomar cuidado. “Alguém na faixa dos 20 ou 30 pode não pensar nada ao receber esses cumprimentos, mas pessoas de 50 anos para cima os consideram gestos mais íntimos e pessoais”, explica Karen. “Isso pode causar uma interpretação errada.”

Segundo um artigo da revista “Atlantic”, mulheres mandam beijos e abraços mais do que homens. Mas isso é realmente profissional? Karen não está muito preocupada. Ela considera que esses gestos quebram a protocolar conversa de escritório. “Muitos de nós não temos tempo para dizer aos outros que o seu trabalho ou conselho foi bem vindo”, afirma.

 

Fonte