Notícias

Curso nas férias ajuda a promover o currículo

31/07/2012 14:22 - TAGS: ,

Jovens usam o período para aprender um novo idioma, trabalhar no exterior e ganhar experiência profissional

Ter fluência em algum idioma, em especial o inglês, e vivência no exterior são exigências cada vez mais comuns no mundo corporativo. Programas de intercâmbio que oferecem trabalho para universitários no exterior durante as férias são uma forma de turbinar o currículo, aprimorar o idioma e, de quebra, conhecer uma nova cultura. Geralmente, as oportunidades de trabalho são oferecidas em hotéis, resorts, estações de esqui, parques, restaurantes e redes de fast-food.

Os Estados Unidos são o principal destino para a modalidade de intercâmbio com trabalho para universitários. Mas há também opções em outros países, como Canadá e Austrália, mas eles são em outros moldes diferentes dos oferecidos nos EUA. Normalmente, são programas de estágios, trainee ou au pair (babá), que podem ser feitos durante o ano todo.

O interessado precisa ter entre 18 e 28 anos, ter inglês a partir do nível intermediário/avançado e, em alguns casos, teste de nível oral obrigatório; flexibilidade para trabalhos operacionais, mudanças de cidade e funções; e ser universitário regularmente matriculado, cursando entre o segundo e o penúltimo semestre da faculdade. Há agências que aceitam candidatos que estejam na pós-graduação.

Os salários chegam a cerca de US$ 1,6 mil por mês, mas parte será gasta com alimentação e estadia. A maioria das agências recruta os candidatos para as empresas no exterior, além de auxiliá-los com a documentação necessária e a retirada do visto. O Student Travel Bureau (STB), por exemplo, orienta e pré-seleciona os estudantes brasileiros de acordo com os pré-requisitos do programa para a obtenção do visto J1 Work and Travel, que permite ao estudante trabalhar nos EUA em cargos operacionais, tais como camareiro, instrutor de esqui, garçom, auxiliar de cozinha, hostess, assistente de vendas, caixa, manobrista etc.

De acordo com Fabiana Fernandes, gerente de produto da CI – Central de In­tercâmbio, os programas de trabalho no exterior têm duração mínima de oito semanas. Portanto, o aluno pode iniciar o programa em julho, mas precisa ter mais um mês disponível para completá-lo.

“Caso queira realizar o programa exclusivamente no período de férias, a melhor opção é optar pelo fim de ano, quando as férias são mais longas.”

Gerente regional do STB Rio, Gabriel Freire diz que ainda há vagas, sim, para os estudantes que desejam conseguir um emprego durante o período de férias nos Estados Unidos.

No caso do Canadá, ressalta Freire, as opções de programas de trabalho são diferentes e, por isso, é possível se candidatar durante todo o ano. “A melhor forma de saber se o candidato tem o perfil para um dos programas é procurar uma empresa que tenha experiência e que possa ajudá-lo a decidir qual o melhor de acordo com a disponibilidade, nível de conhecimento do idioma, tempo de permanência, entre outros aspectos”, diz.

Segundo Fabiana, o objetivo principal desses programas é proporcionar experiência de trabalho internacional, ajudando o participante a conhecer práticas em outros mercados de trabalho e culturas e, assim, ajudando-o a se tornar mais flexível e maduro.

No meio-tempo

Como a ideia de fazer um intercâmbio de trabalho não surge de repente e precisa ser amadurecida, o estudante pode aproveitar o tempo de escolha do programa e preparação da documentação para se atualizar no idioma.

Diretora da Plan Idiomas Direcionado, Angela Branco sugere que seja feito um curso intensivo voltado para compreensão e fluência com foco nas situações do dia a dia, como ir ao médico, restaurantes, supermercado, estações rodoviárias e ferroviárias etc. Vale também analisar as questões culturais e buscar o máximo de informações do país que se pretende visitar. “É importante que este curso seja individual ou com pessoas que tenham o mesmo objetivo. Assim, o plano de aulas será personalizado.”

Angela aconselha que, durante a experiência fora do país de origem, o estudante se relacione ao máximo com os moradores locais. Além disso, quem for universitário deve tentar buscar um estágio na área em que estuda ou um emprego que, de alguma forma, esteja relacionado com a carreira que almeja. “O importante é absorver experiência.”

 

Fonte